• +54 280 4495044
  • - Av de las Ballenas s/n Puerto Pirámides, Península Valdés, Chubut, Patagonia Argentina.

Blog

Conservação e os heróis anônimos

Aproveito este espaço para manter viva a memória coletiva e me lembrar de uma história única. Uma coleção de recortes de jornais de épocas passadas nos ajuda a lembrar um fato que marcou um marco na história da preservação da fauna na Argentina, conhecida como “A Batalha dos Pinguins”.
Carlos Passera, um dos primeiros guarda florestais da província de Chubut, enquanto vivia com sua esposa e filhos, na remota Reserva Punta Tombo, na época da ditadura militar em nosso país, tornou-se o herói desse feito.
Um dia, enquanto fazia seu trabalho, chegou uma pessoa próxima do governo. Ele disse que logo instalariam uma fábrica, ali mesmo, para matar e processar 48.000 pinguins por ano. Eles fariam belas luvas de golfe e outras banalidades com eles. Claro, esse porta-voz não sabia quem estava dizendo a ele…
Carlos, já na época, era um ativista pacífico que, antes de se instalar na província patagônica de Chubut, estudou e praticou jornalismo na capital federal. O acesso que ele teve aos maiores editores do país. People Magazine, Air and Sun e a Agência Ameuropress, entre outros, serviram para apresentar batalha e defender Punta Tombo.

“A Batalha dos Pinguins” nos jornais da época

“A Batalha dos Pinguins” nos jornais da época

“A Batalha dos Pinguins” foi o nome dessa campanha para defender um lugar único. Até mesmo o lendário caricaturista argentino, Fontanarrosa, abordou a questão com seu personagem Toilet Pereyra. Carlos ao comunicar à imprensa, tal erro nacional, alterou o curso sinistro de uma das maiores colônias de pinguins do mundo. Hoje Punta Tombo representa um dos mais importantes centros de ecoturismo da Patagônia. Graças a um dinossauro de conservação,  Carlos Passera.

Punta Tombo pinguin colony reserve chubut

Carlos e Carol 

Hoje, Carlos e sua esposa Carol, que o acompanha desde antes de sua odisseia com os pinguins de Punta Tombo, dirigem a Causana Viajes, uma agência de turismo que oferece alternativas orientadas para o turismo sustentável e responsável, orientadas pela natureza e pelas experiências naturais e culturais oferecidas. cada região que visitam.

Os pinguins hoje:

Penguins na Patagônia Argentina

Estas aves vivem atualmente um dano ambiental colateral criado por nós humanos. Muitas das manchas de óleo nos oceanos estão concentradas nas rotas migratórias dessas aves marinhas não-voadores, envoltas em um manto de óleo, tentando avançar em uma pasta de óleo na superfície da água. Uma vez oleadas, as penas do pinguim perdem sua capacidade de isolamento, de modo que não conservam a temperatura, buscam refúgio nas praias onde morrem de intoxicação. Por isso, é muito importante ter consciência e criar uma legislação rigorosa para o transporte e extração de petróleo.

Pague com criptomoedas e economize mais de 10%

hotel promo price off discount bitcoin